Em Cannes, Miguel Gomes é melhor realizador com ‘Grand Tour’

No ano em que o americano Sean Baker venceu a Palma de Ouro, com Anora, eis que o merecido destaque é mesmo para o português Miguel Gomes, ao ser reconhecida a Melhor Realização pelo seu trabalho em Gran Tour. Isto sem esquecer o prémio especial entregue ao iraniano Mohammad Rasoulof, que conseguiu fugir do Irão, onde era perseguido. Ele que venceria também o prémio FIPRESCI.

0
223

No ano em que o americano Sean Baker venceu a Palma de Ouro, com Anora, eis que o merecido destaque é mesmo para o português Miguel Gomes, ao ser reconhecida a Melhor Realização pelo seu trabalho em Gran Tour. Isto sem esquecer o prémio especial entregue ao iraniano Mohammad Rasoulof, que conseguiu fugir do Irão, onde era perseguido. Ele que venceria também o prémio FIPRESCI.

Foi assim, ao fim de 11 dias que o júri presidido por Greta Gerwig, a realizadora de Barbie, definiu o palmarés dos filmes que irão dominar, pelo menos, o resto do ano. E os nomes a reter são mesmo Sean Baker, com Anora, All We Imagine as Light, da indiana Payal Kapadia, Emilia Pérez, de Jacques Audiard, respetivamente, Melhor Filme, Grand Prix e Prémio do Júri.

Já se sabe, o gesto do cinema de Miguel Gomes, em Grand Tour, mereceu a distinção pelo filme de época, combinando fotografia a preto e branco e cor, ao recriar o passado de um funcionário britânico (Gonçalo Waddington), numa fuga com a noiva (Crista Alfaiate), ao longo de diversos países asiáticos. Ele que sublinhou a necessidade de “continuar a apoiar o cinema português, por pior que se diga, às vezes em Portugal do cinema português”.

No que diz respeito ainda ao palmarés, o prémio de interpretação feminino foi outorgado ao coletivo, ao passo que a interpretação masculina distinguiu a prestação de Jesse Plemons, por Kinds of Kindness.

Palmarés Cannes 2024

Palma de Ouro: Anora, de Sean Baker

Grande Prémio do Júri: All We Imagine As Light, de Payal Kapadia

Prémio do Júri: Emilia Perez, de Jacques Audiard

Prémio Especial do Júri: The Seed of the Sacred Fig, de Mohammad Rasoulof

Melhor RealizaçãoMiguel Gomes, por Grand Tour

Melhor Guião: Coralie Fargeat, por The Substance

Melhor Atriz: Elenco feminino de Emilia Perez

Melhor AtorJesse Plemons, por Kinds of Kindness

Caméra D’Or (melhor primeira obra): Armand, de Halfdan Ullmann Tondel

Menção especial: Mongrel

Palma de Ouro – Curta Metragem: The Man Who Could Not Remain Silent, de Nebojsa Slijepcevic (Croácia),

Menção especial: Bad For a Moment, de Daniel Soares (Portugal)